Ouro fecha em alta, favorecido por queda do dólar e dos juros dos Treasuries

O contrato futuro mais líquido do ouro fechou em alta nesta sessão, favorecido pela desaceleração dos juros dos Treasuries e pela queda do dólar ante moedas rivais.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para fevereiro de 2024 fechou em alta de 1,34%, a US$ 2.060,20 por onça-troy.

O Commerzbank destaca que o ouro já é uma das commodities negociadas em bolsa com melhor desempenho neste ano. "É verdade que o ouro também sofreu alguns momentos de fraqueza entretanto - o seu preço caiu para quase US$ 1.800 por onça-troy no final de fevereiro e no início de outubro. Contudo, o ouro conseguiu recuperar rapidamente estas perdas graças à turbulência em vários bancos regionais dos EUA em março e à escalada do conflito no Oriente Médio em outubro".

Ainda, o banco alemão destaca que uma mudança nas expectativas do mercado relativas às taxas de juro da Fed dos EUA parece ser a principal responsável pela recuperação e pela resiliência do ouro a fatores de baixa, como avanço dos rendimentos dos Treasuries e desaceleração da inflação. "A questão crucial agora é quando e com que intensidade o Fed reduzirá as taxas de juro no próximo ano".

O TD Securities, por sua vez, destaca que um posicionamento esperado de comentários mais dovish do Fed e uma busca pelo metal deverão elevar os preços para US$ 2.100 por onça-troy de uma "forma sustentada" em 2024. "À medida que o ambiente de metais preciosos se torna favorável, a prata é também projetado para ter um bom desempenho".

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes