AIE: calor recorde e crescimento de indústrias ampliam urgência por maior eficiência energética

A Agência Internacional de Energia (AIE) avalia que o calor recorde e o crescimento das indústrias, que impulsionaram a demanda por energia, tornaram crucial o compromisso de duplicar o ritmo de melhorias de eficiência energética.

Segundo relatório sobre o assunto publicado nesta quarta-feira, 29, os esforços políticos para a expansão da eficiência energética continuam se expandindo após os efeitos da crise energética global desencadeada pela invasão da Ucrânia pela Rússia. Entretanto, a AIE alerta que o ritmo de melhora nessa frente tem desacelerado.

"Isto foi o resultado de fatores como uma recuperação econômica em setores com utilização intensiva de energia, como a petroquímica e a aviação em algumas regiões, bem como a crescente procura de ar condicionado durante aquele que está a caminho de ser o ano mais quente de que há registro".

Assim, o relatório aponta como ações prioritárias até 2030 triplicar a capacidade global de energia renovável; o comprometimento de empresas de petróleo e gás com transições para energias limpas, "incluindo a redução das emissões de metano das suas operações em 75%; impulsionar o investimento em energia limpa nos mercados emergentes e nas economias em desenvolvimento; e assegurar o declínio ordenado da utilização de combustíveis fósseis, incluindo o fim de novas aprovações de centrais elétricas alimentadas a carvão".

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes