Rodovias concedidas mantêm melhores índices positivos que as geridas pelo Estado, diz CNT

As rodovias administradas pela iniciativa privada no Brasil mantêm melhores índices de aprovação na comparação com as públicas, conforme aponta a Pesquisa CNT de Rodovias divulgada nesta quarta-feira, 29. O levantamento é elaborado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Ao analisar o resultado do estado geral das rodovias por tipo de gestão, a pesquisa contabiliza que as públicas - que representam 76,6% da extensão pesquisada neste ano - apresentam porcentuais maiores de avaliações negativas: regular, ruim e péssimo. Essas más condições correspondem a 77,1%.

Por outro lado, nas rodovias concedidas - que representam 23,4% da extensão pesquisada em 2023 - os porcentuais para o estado geral indicam uma situação oposta. De acordo com a pesquisa, 64,1% da extensão da malha concedida, avaliada pelo levantamento nessa característica, foram classificados como bom e ótimo.

Para a CNT, a previsão de investimentos no modal rodoviário dentro do Novo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) é uma boa sinalização para ambos os tipos de gestão. Dos R$ 185,80 bilhões previstos, R$ 112,8 bilhões são da iniciativa privada (60,7%) e R$ 73,0 bilhões do governo federal (39,3%).

"Essa realidade demonstra uma recuperação da capacidade de investir com duas frentes, via Estado e/ou por meio de relações de colaboração com a iniciativa privada, contemplando concessões e parcerias", avalia a confederação.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes