País tem taxa de informalidade de 39,1% no trimestre até outubro, mostra IBGE

O País registrou uma taxa de informalidade de 39,1% no mercado de trabalho no trimestre até outubro de 2023. Havia 39,180 milhões de trabalhadores atuando na informalidade no período, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), apurada pelo Instituto Brasileiro de Economia e Estatística (IBGE).

Em um trimestre, mais 257 mil pessoas passaram a atuar como trabalhadores informais. O total de vagas no mercado de trabalho como um todo no período cresceu em 862 mil novos postos de trabalho.

"Ou seja, a maior parte de fato da ocupação, do crescimento da ocupação, foi por meio da população ocupada formal", resumiu Adriana Beringuy, coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE. "A maior parte da expansão da ocupação foi via formalidade."

Em um trimestre, na informalidade, houve elevação de 87 mil empregos sem carteira assinada no setor privado, de 18 mil trabalhadores domésticos sem carteira assinada e de 175 mil pessoas no trabalho por conta própria sem CNPJ. Houve redução de 14 mil pessoas atuando no trabalho familiar auxiliar e de 9 mil empregadores sem CNPJ.

A população ocupada atuando na informalidade cresceu 0,7% em um trimestre. Em relação a um ano antes, o contingente de trabalhadores informais subiu em 216 mil pessoas, alta de 0,6%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes