Lula diz que lutará por acordo com UE, e que acerto só não sai se partes forem ‘irrazoáveis’

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, disse que não vai desistir do acordo comercial entre Mercosul e União Europeia. Ele deu a declaração ao lado do chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, dias depois de o presidente francês, Emmanuel Macron, criticar a proposta em discussão.

"Não vou desistir do acordo enquanto não conversar com todos os presidentes e ouvir o 'não' de todos", disse Lula.

Ele afirmou que vai "lutar" pelo acerto enquanto acreditar na possibilidade de concluí-lo.

"Depois de 23 anos [discutindo o tema], se a gente não concluir o acordo é porque estamos sendo irrazoáveis", declarou o brasileiro.

Ele falou sobre a possibilidade de Scholz conseguir convencer Macron e governo argentino sobre o acerto entre os dois blocos.

O presidente do Brasil também afirmou que respeita a posição da França, e que essa é a postura antecede a chegada de Macron ao poder. Lula afirmou que espera que a União Europeia decida se tem interesse em "um acordo equilibrado".

Também disse que Brasil e Alemanha reforçarão a colaboração na área ambiental. Também disse que ambos concordaram em enfrentar forças antidemocráticas.

Além disso, o brasileiro disse que reiterou o convite para Scholz participar da Conferência do Clima em Belém.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes