Tecnologia é ferramenta para promover democratização dos serviços financeiros, diz Campos Neto

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, exaltou a agenda tecnológica da autarquia em participação virtual no Global Technology Summit (GTS), realizado em Nova Délhi, Índia. "No Banco Central brasileiro, nós acreditamos que a tecnologia não apenas traz eficiência e modernização para a nossa economia, mas também é uma das ferramentas mais poderosas para promover a democratização dos serviços financeiros", afirmou Campos Neto, que na sequência defendeu que os serviços tecnológicos são um instrumento primário para propagar inclusão.

O banqueiro central destacou que o objetivo da agenda tecnológica do BC é justamente democratizar a intermediação financeira no Brasil e enumerou, entre as iniciativas que compõem o projeto, o Pix, o Open Finance, a modernização da legislação cambial e o desenvolvimento do Drex.

Campos Neto chamou atenção para os bons resultados do Pix e frisou que o sucesso no projeto de inclusão financeira no Brasil não deriva de uma única política ou de esforços de curto prazo.

"É o resultado de políticas públicas desenhadas e implementadas nas últimas duas décadas", emendou o banqueiro central, que ressaltou a importância dos investimentos em infraestrutura para o avanço da agenda tecnológica. Como exemplo, citou a importância da alta cobertura de internet rápida no Brasil para a disseminação do Pix pelo País.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes