Barômetros econômicos em dezembro registram alta pelo sexto mês seguido, diz FGV

Os Barômetros Globais - divulgados pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e o Instituto Econômico Suíço KOF, da ETHzürich - registraram em dezembro a sexta alta seguida, fechando o ano em nível superior ao de 12 meses atrás. Os resultados sinalizam continuidade da fase de aceleração, ainda que lenta, do crescimento mundial ao longo do segundo semestre. A região da Ásia, Pacífico e África exerceu a maior contribuição para a alta.

O Barômetro Econômico Global Coincidente subiu 1,5 ponto em dezembro, para 91,8 pontos. O índice ainda está abaixo do potencial - devido a incertezas sobre a inflação global no Ocidente e aos ajustes no mercado imobiliário chinês -, mas mostra retomada na economia mundial.

O Barômetro Antecedente subiu 3,3 pontos, para 105,9 pontos, maior nível desde setembro de 2021 (108,5). Com a alta mais forte no mês, a diferença entre os dois Barômetros Globais é agora de 14,1 pontos, a maior desde março de 2021 (17,1 pontos)

"O Barômetro Coincidente mostra a economia mundial em fase de retomada, embora ainda crescendo abaixo do potencial, limitada por incertezas com relação à evolução da inflação nas economias industrializadas ocidentais e pela fase de ajustes no mercado imobiliário chinês", disse, em nota, Aloisio Campelo Jr., pesquisador do FGV Ibre.

"O Barômetro Antecedente sinaliza a sustentação desta fase no horizonte de três a seis meses, podendo ser interpretado como um resultado favorável diante dos temores de analistas de uma reversão da fase atual em função do aumento das chances de manutenção de juros mais altos por um período mais longo para combater a inflação em diversos países", avaliou Campelo Jr.

A alta do indicador Coincidente se deveu, principalmente, à contribuição de 1,3 ponto da região da Ásia, Pacífico e África, enquanto a Europa contribui com 0,2 ponto. O Hemisfério Ocidental ficou constante.

Os indicadores regionais do Barômetro Coincidente sinalizam atividade econômica global ainda morna e em recuperação gradual, influenciada pelos diversos desafios econômicos enfrentados pelos países.

Indicadores setoriais

Com relação aos indicadores setoriais coincidentes, todos evoluíram positivamente em dezembro, exceto o de Serviços, que recuou. O indicador do Comércio continua a evoluir favoravelmente desde julho deste ano, se distanciando dos demais setores e alcançando o nível de neutralidade de 100 pontos.

O Barômetro Global Antecedente, por sua vez, antecipa os ciclos de taxas de crescimento mundial entre três e seis meses. Em dezembro, as contribuições regionais positivas vieram das três regiões, com destaque para a Ásia, Pacífico e África (2,1 pontos), seguida pelo Hemisfério Ocidental e Europa, com 0,7 e 0,5 ponto, respectivamente.

O nível dos indicadores regionais antecedentes sugere maior disseminação da percepção de aceleração da taxa de crescimento nas principais regiões, com os indicadores da Europa e Hemisfério Ocidental registrando nível próximo neutro (100 pontos) e os indicadores da Ásia, Pacífico e África numa posição mais otimista.

Em dezembro, todos os indicadores setoriais antecedentes sobem, exceto Economia (avaliações dos consumidores e agregadas empresariais), que ficou constante no mês. Os indicadores de Serviços e Comércio registram os maiores níveis desde o final de 2021, refletindo otimismo em relação aos próximos meses.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes