Ouro fecha semana em queda, pressionado por juros dos Treasuries e alta do dólar

O ouro fechou em queda nesta sessão, depois de ter subido ao maior preço da história no início da semana. A cotação foi pressionada pela valorização do dólar no exterior e dos rendimentos dos Treasuries, após divulgação do relatório de emprego dos EUA (payroll).

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para fevereiro de 2024 fechou em baixa de 1,55%, a US$ 2.014,5 por onça-troy. Em relação à sexta-feira passada, 1º, o preço caiu 3,59%. O resultado semanal interrompe uma sequência de três semanas em alta.

Analista da Oanda, Craig Erlam observa que a queda ocorre após um início de semana promissor para a commodity. Na segunda-feira, 4, o ouro chegou a renovar máximas históricas, mas fechou em baixa. "Realmente tem sido uma semana e tanto para o metal amarelo. E com o dado de inflação dos EUA e a decisão da taxa de juros do Fed chegando na próxima semana, a volatilidade pode continuar", afirmou Erlam em nota aos clientes.

Hoje, o payroll mostrou criação de emprego acima do esperado e recuo na taxa de desemprego nos EUA em novembro, dando fôlego aos retornos dos títulos americanos e ao dólar. Essa conjuntura colaborou para a baixa do ouro nesta sessão, na avaliação de analistas. Isso porque a alta nos yields aumenta a atratividade dos Treasuries, ativos de segurança com quem o ouro compete. Já o dólar fortalecido torna o metal mais caro para operadores de outras divisas.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes