Consumo de energia no SIN deve subir 11,1% e fechar mês em 80.306 megawatts médios, diz ONS

O consumo de energia do Sistema Interligado Nacional (SIN) deve encerrar dezembro em 80.306 megawatts médios (MWmed), alta de 11,1% em relação ao mesmo período do ano passado, informou o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) no mais recente Programa Mensal da Operação (PMO).

Para o Sudeste/Centro-Oeste, principal centro de carga do País, a previsão é que ele fique em 45.614 MWmed ao final de dezembro, elevação de 12,5% em base anual. No Sul, a previsão é de 13.605 MWmed, elevação de 1,7% em relação a dezembro de 2022.

Para o subsistema Nordeste, a estimativa é de 13.655 MWmed, elevação de 14,8%, enquanto no Norte a projeção de consumo é de 7.432 MWmed, alta de 15,2%.

Geração

Em relação à Energia Natural Afluente (ENA), ou seja, a quantidade de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas para se transformar em energia, o ONS estima que no Sudeste/Centro-Oeste, ela chegue em 66% da média histórica. Caso essa projeção se confirme, os níveis armazenados na região devem chegar ao final do mês com 63,7% de capacidade.

No Sul, a ENA foi estimada em 272% da média. A região tem recebido grandes volumes de chuva nos últimos meses, devido ao fenômeno meteorológico El Niño. Deste modo, os volumes armazenados nos reservatórios das hidrelétricas devem encerrar dezembro em 97,1%.

Já a região Nordeste deve ter ENA de 19% da média histórica, levando os níveis dos reservatórios a 1,2%. No Norte, a quantidade de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas para se transformar em energia, deve alcançar 35% da média, de acordo com o ONS. O armazenamento da região deve terminar dezembro em 47,4%.

Com isso, o Custo Marginal da Operação (CMO) para a semana de 09 a 15 de dezembro foi mantido em R$ 0,00 por megawatt-hora (MWh).

O CMO é o custo para se produzir 1 MWh para atender ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e está nesse patamar desde o final de 2022, devido à condição favorável para a produção de energia nas hidrelétricas.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes