Aguinaldo: definições de mérito passarão por discussões políticas na Câmara e no Senado

Embora pontos de mérito sobre o texto da reforma tributária ainda estejam pendentes de uma definição pelas lideranças da Câmara dos Deputados, relator da proposta na Casa, Aguinaldo Ribeiro (PP-AL), reafirmou nesta segunda-feira, 11, sua confiança de que será possível promulgar a emenda constitucional neste ano.

A expectativa é de que a PEC seja votada novamente nesta semana pela Câmara, mas, para alcançar um texto consensual, o relator ainda precisa fazer reuniões com lideranças e com o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), além de pactuar acertos com o Senado.

Ribeiro se encontrou nesta tarde com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, a quem pediu um estudo atualizado do impacto das exceções adicionadas pelos senadores à reforma, que têm impacto na alíquota-padrão do IVA. Ao falar com a imprensa após o encontro, o relator afirmou que a equipe econômica deve concluir esses dados nas "próximas horas".

"Avançamos muito no texto no fim de semana. E passamos a manhã aprimorando texto, ainda que não definindo questões de mérito que passam por questão política. Primeiro vamos fazer isso internamente na Casa e depois no Senado para ter promulgação ainda neste ano", disse o deputado, que espera se encontrar com líderes e com Lira nesta terça-feira, 12, para avançar no debate sobre eventuais supressões que poderão ser feitas no texto aprovado pelos senadores.

Ribeiro também informou que já esteve com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e que ainda irá procurar o relator da reforma na Casa vizinha, o senador Eduardo Braga (MDB-AM).

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes