Ceron: Tesouro quer pagar precatórios entre Natal e primeira semana de janeiro de 2024

O secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron, disse nesta segunda-feira, 11, que o governo pretende pagar quase a totalidade dos precatórios até, no máximo, a primeira semana de janeiro. Durante participação em fórum da XP, ele afirmou que apenas um valor residual pode ficar para ser pago posteriormente, mas a ideia é acertar 98% do estoque nos próximos dias.

Ceron considerou que a situação dos precatórios está resolvida, após a autorização dada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para o governo pagar as sentenças judiciais via abertura de créditos extraordinários, tirando assim um valor estimado em R$ 95 bilhões dos limites impostos pelas regra fiscal.

Ele classificou essa dívida, que afetava a reputação do País, como um problema resolvido também porque a tendência é de menor geração de precatórios nos próximos anos. "Não temos grandes teses no horizonte para gerar precatórios substanciais ... É um problema resolvido", afirmou.

No fórum da XP, Ceron considerou também que o cenário para a economia no ano que vem é positivo, com projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) superior a 2%, levando em consideração a redução dos juros. Apesar da tendência de desaceleração da atividade, o secretário do Tesouro disse que, após dois anos de crescimento ao redor de 3%, esse ritmo deve preservar um bom ambiente econômico. "Não vislumbro uma atividade que gere sensação de desaceleração relevante."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora