Dólar sobe de olho em Treasuries, queda de commodities e Congresso

O dólar no mercado à vista renovou máximas na manhã desta segunda-feira, 11, diante da ampliação do avanço dos rendimentos dos Treasuries. O mercado de câmbio opera em linha com valorização do índice DXY e também da divisa americana ante várias moedas emergentes e ligadas a commodities em meio a quedas do petróleo e do minério de ferro, em Dalian, na China.

Os investidores ampliam posições cambiais defensivas, após o dólar acumular ganho de 1% na semana passada, atentos à aceleração dos juros americanos e à espera dos dados de inflação local (IPCA) e dos EUA (CPI) nesta terça-feira, 12, e das decisões de juros do Comitê de Política Monetária (Copom) e Federal Reserve (Fed, o banco central americano), na quarta-feira. Enquanto aqui se espera corte de 50 pontos-base da Selic, para 11,75%, nos Estados Unidos a expectativa é de manutenção dos juros na faixa de 5,25% a 5,50%.

No Boletim Focus divulgado nesta segunda, a expectativa para a inflação deste ano recuou. A projeção de IPCA para 2023 passou de 4,54% para 4,51%. Para 2024, foco da política monetária, a projeção também oscilou de 3,92% para 3,93%. As estimativas do Boletim Focus continuam acima do centro das metas para a inflação.

A pauta do Congresso está cheia e os parlamentares precisam votar matérias importantes antes do recesso, para que o governo tenha mais chances de cumprir a meta de déficit fiscal zero em 2024. Uma das medidas é a MP da subvenção do ICMS, mas tem também a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2024, o PL das Bets, análise dos vetos de Lula e a reforma tributária.

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, afirmou que esta semana será fundamental para o governo em 2024 e criará ambiente mais favorável para a queda dos juros. O líder do governo no Congresso, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), disse que o relatório da MP que trata da subvenção do ICMS deve ser apresentado amanhã na comissão mista e votado na quarta-feira.

O Congresso agendou sessão para a quinta-feira, a partir das 10h, com 39 vetos e 20 projetos na pauta de votações. Os destaques ficam para os projetos da LDO para 2024 e do Plano Plurianual (PPA) 2024-2027. Na Câmara, deputado Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), disse que o presidente Arthur Lira já sinalizou para a votação da reforma tributária nesta semana.

Entre as commodities, o minério de ferro fechou em queda de 0,37% em Dalian, na China, cotado a US$ 133,24 por tonelada. Já o petróleo Brent recuava 0,26%, a US$ 75,64 por barril às 9h42.

Às 9h42 desta segunda, o dólar à vista subia 0,38%, a R$ 4,9482. O dólar para janeiro de 2024 ganhava 0,34%, a R$ 4,9545.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes