Renan Filho: Lula não vai rever autonomia do BC; o que fez foi criticar juro alto, e parou

O ministro dos Transportes, Renan Filho, negou que estivesse na mesa do governo a revisão de temas como a autonomia do Banco Central e a privatização da Eletrobras. Durante evento promovido pela XP, Renan Filho afirmou que o presidente "nunca reviu uma privatização" e que a Eletrobras não seria a primeira. Com relação ao Banco Central, o presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, apenas criticou os altos juros da autarquia, disse Renan Filho.

"O presidente Lula não vai rever a autonomia do BC. O que ele fez foi criticar o juro alto e, em algumas vezes, foi mais enfático, mas já até parou", afirmou o ministro no início do período da tarde desta segunda-feira.

Durante o início do mandato, o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez uma série de críticas ao Banco Central e a seu presidente, Roberto Campos Neto. No início, as críticas partiram do próprio presidente; depois, foram terceirizadas para seus aliados, para evitar desgastes do chefe do Executivo.

O governo defendia uma queda da taxa Selic, que no início do ano estava em 13,75%. Desde então, a autarquia tem feito uma queda controlada da alíquota, que atualmente está em 12,25% ao ano.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes