Bolsas da Europa operam em alta; Londres mostra mais impulso após dado do Reino Unido

Os mercados acionários da Europa exibem ganhos, nas primeiras horas desta terça-feira, 12. Londres tem mais impulso, apoiada após um dado do mercado de trabalho do Reino Unido reforçar apostas de corte de juros pelo Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) mais adiante.

Às 6h25 (de Brasília), o índice pan-europeu Stoxx 600 operava em alta de 0,05%, em 473,96 pontos.

A taxa de desemprego no Reino Unido se manteve em 4,2%, no trimestre até outubro, em linha com o previsto por analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. O salário semanal médio, excluindo-se bônus, teve alta anual de 7,3% no trimestre até outubro, após alta de 7,8% vista nos três meses até setembro. A expectativa dos analistas era de alta um pouco maior, de 7,4%.

Segundo a Capital Economics, o ritmo dos salários no país reforça apostas de que o BoE pode reduzir juros mais cedo em 2024, o que segundo investidores poderia ocorrer em meados do próximo ano. A consultoria admite que, com o dado desta terça, sua própria previsão de que a redução dos juros ficará apenas para o fim de 2024 se mostra "um pouco mais desafiadora".

Após o dado, a libra perdeu fôlego, o que tende a apoiar ações de exportadoras britânicas. Na agenda do dia, às 7h o índice de expectativas econômicas da Alemanha elaborado pelo instituto ZEW será publicado. O Danske Bank comenta que o sentimento econômico alemão teve melhora recente, mas com a avaliação sobre as condições atuais ainda muito fraca, durante os meses do outono local. Fora da região, destaque para o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos EUA, que sai às 10h30.

Às 6h30, a Bolsa de Londres subia 0,78%, Frankfurt avançava 0,12% e Paris tinha alta de 0,33%. Milão operava em alta de 0,42%, enquanto Lisboa oscilava entre ganhos e perdas, bem perto da estabilidade, em alta de 0,01%. No câmbio, o euro subia a US$ 1,0787 e a libra tinha baixa a US$ 1,2556.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes