Nos EUA, fundos de hedge estão processando a SEC pelas vendas a descoberto

Fundos de hedge processaram a SEC (Comissão de Valores Mobiliários americana) alegando que a agência violou a lei quando finalizou um par de regras destinadas a coletar dados sobre vendas a descoberto no início deste ano. A ação, apresentada no Tribunal de Apelações do Quinto Circuito dos EUA pela Managed Funds Association e outros grupos nesta terça-feira, 12, ataca as regras adotadas pela SEC neste outono que exigem a divulgação de vendas a descoberto e empréstimos de títulos. Os relatórios são anônimos, mas os fundos argumentam que a agência ignorou como as regras interagem e que prejudicam os investidores.

"Apesar dos nossos melhores esforços, a SEC decidiu ignorar a natureza interligada destas duas legislações e não conseguiu aplicar uma abordagem ou princípio consistente para regular estes mercados relacionados. As regras resultantes são arbitrárias e caprichosas", disse o presidente da MFA, Bryan Corbett, num comunicado, argumentando que a SEC "precisa voltar à prancheta".

O desafio, apresentado pela MFA, pela Associação de Gestão de Investimentos Alternativos e pela Associação Nacional de Gestores de Fundos Privados, é apenas a mais recente resistência da indústria de fundos de cobertura contra a SEC. Este verão, o MFA processou a SEC por causa de novas regras que exigem que os gestores de fundos obtenham o consentimento dos investidores antes de tratarem alguns investidores melhor do que outros, entre outras disposições. Os fundos de hedge também recusaram as regras propostas que os obrigariam a reportar posições em swaps baseados em títulos.

A SEC adotou as regras de venda a descoberto e de empréstimo de títulos na sequência do fiasco da GameStop, em que os investidores de varejo provocaram uma enorme compressão a descoberto nas ações e causaram grandes perdas em alguns fundos que tinham apostado contra a empresa. As regras exigem que os fundos comuniquem as suas posições curtas à SEC e que as empresas que emprestam ações comuniquem essas transações à Autoridade Reguladora da Indústria Financeira. Fonte: Dow Jones Newswires.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes