BC: Ambiente externo segue volátil e menos adverso que na reunião anterior

O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central avaliou que o cenário externo segue volátil, mas menos adverso do que na última reunião do colegiado. A conclusão está no comunicado que se seguiu à decisão de reduzir a taxa Selic em 0,50 ponto porcentual pela quarta vez consecutiva, para 11,75% ao ano.

"O ambiente externo segue volátil e mostra-se menos adverso do que na reunião anterior, marcado pelo arrefecimento das taxas de juros de prazos mais longos nos Estados Unidos e de sinais incipientes de queda dos núcleos de inflação, que ainda permanecem em níveis elevados em diversos países", citou o colegiado.

A autoridade monetária ainda ressaltou que os demais bancos centrais seguem determinados em promover a convergência das taxas de inflação para suas metas, mesmo em um ambiente marcado por pressões nos mercados de trabalho. "O Comitê avalia que o cenário segue exigindo cautela por parte de países emergentes", alerta.

Em relação à economia doméstica, o comunicado indicou que o conjunto de indicadores de atividade econômica segue consistente com o cenário de desaceleração da economia já antecipado pelo próprio Copom. "A inflação cheia ao consumidor, conforme esperado, manteve trajetória de desinflação, com destaque para as medidas de inflação subjacente, que se aproximam da meta para a inflação nas divulgações mais recentes", destacou o comunicado.