BCE deixa juros inalterados e reforça que manterá nível restritivo por tempo prolongado

O Banco Central Europeu (BCE) decidiu deixar suas principais taxas de juros inalteradas em reunião nesta quinta-feira, 14, mas reforçando a mensagem de que manterá nível restritivo pelo tempo necessário para baixar a inflação à meta de 2% ao ano.

Desta forma, a taxa de refinanciamento do BCE permanece em 4,50%, a de depósitos, em 4%, e a de empréstimos, em 4,75%. A decisão veio em linha com a expectativa de analistas.

O BCE aponta que as condições financeiras mais apertadas estão contribuindo para conter a demanda e reduzir a inflação. "Continuaremos a reagir aos dados, em particular, as perspectivas para inflação", afirmou, em comunicado.

O banco central prevê que, apesar da desaceleração da inflação nos últimos meses, os preços devem ganhar fôlego temporariamente no curto prazo, antes de desacelerar gradualmente ao longo de 2024.

Nesta reunião, os dirigentes também decidiram seguir com a normalização do balanço patrimonial do Eurosystem, em um plano que pretende acabar com os reinvestimentos do Programa de Compras de Emergência na Pandemia (PEPP, na sigla em inglês) até o fim de 2024.

De acordo com o comunicado, o BCE vai reinvestir completamente os pagamentos de ativos que vencem no primeiro semestre de 2024, mas devem reduzir o portfólio em 7,5 bilhões de euros ao mês a partir do segundo semestre.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes