BCE espera que mercado de trabalho siga resiliente, apesar de ligeiro arrefecimento

A equipe técnica do Banco Central Europeu (BCE) espera que o mercado de trabalho permaneça resiliente na zona do euro, apesar do ligeiro arrefecimento, com um crescimento do emprego mais moderado do que o observado em 2023. Em comunicado, o BCE projeta crescimento do emprego total deverá abrandar, mas permanecer em território positivo, caindo de 2,3% em 2022 para 1,4% em 2023, e depois se estabilizando em 0,4% ao longo do período 2024-2026.

Em comparação com as projeções de setembro de 2023, o crescimento do emprego foi revisto em alta em 0,6 pontos percentuais ao longo de todo o horizonte de projeção, implicando uma revisão em baixa do crescimento da produtividade do trabalho. Este padrão reflete o pressuposto de acumulo de mão-de-obra no atual contexto de fraco crescimento econômico, que se desfez nos últimos anos do horizonte de projeção, quando a economia voltou a se fortalecer.

Globalmente, se espera que o crescimento da produtividade do trabalho se fortaleça ao longo do horizonte de projeção, mas os níveis de produtividade permanecerão significativamente abaixo da sua tendência linear de longo prazo, projeta o BCE.

A taxa de desemprego deverá aumentar ligeiramente no curto prazo, situando-se em 6,6% em 2024, antes de diminuir ao longo do resto do horizonte de projeção para uma média de 6,5% em 2025 e 6,4% em 2026, indica a equipe. Embora isto contraste com o ligeiro aumento trajetória prevista nas projeções de setembro de 2023, a avaliação geral de um mercado de trabalho restritivo permanece válida.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes