Vendas de supermercados caem após quatro altas seguidas, mostra IBGE na pesquisa do varejo

O mau desempenho do setor de supermercados ajudou a reduzir as vendas do comércio varejista brasileiro em outubro. No entanto, a queda sucede quatro meses seguidos de avanços, período em que os supermercados impulsionaram positivamente o varejo, apontou Cristiano Santos, gerente da Pesquisa Mensal de Comércio no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O volume vendido pelo varejo caiu 0,3% em outubro ante setembro. O segmento de supermercados encolheu 1,0% no período, depois de ter crescido em junho (1,4%), julho (0,5%), agosto (1,1%) e setembro (1,6%).

"Quando a atividade de supermercados não cresce, ela segura bastante o resultado geral do varejo", frisou Santos.

Segundo o pesquisador do IBGE, as famílias concentraram mais consumo em supermercados nos meses anteriores, o que não se repetiu em outubro. As quedas nos preços dos alimentos ajudaram nas vendas dos supermercados nos meses de crescimentos. Em outubro, embora a inflação não tenha sido aguda, os preços não estimularam as vendas, enquanto as famílias tinham mais estoques de alimentos", declarou Santos.

No comércio varejista ampliado - que inclui as atividades de veículos, material de construção e atacado alimentício -, as vendas recuaram 0,4% em outubro ante setembro.

Houve contribuição negativa do segmento de atacado alimentício, embora não haja dados disponíveis sobre a variação das vendas na série com ajuste sazonal.

O volume vendido por veículos cresceu 0,3%, e material de construção avançou 2,8%, o que sinaliza um recuo na média do varejo ampliado puxado pelo atacado alimentício.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes