Bolsas de NY fecham sem direção única, após dirigentes do Fed modularem tom dovish de Powell

As bolsas de Nova York fecharam sem direção única nesta sessão, após falas de dirigentes do Federal Reserve (Fed). As autoridades sugeriram que o início do corte de juros pode não estar tão perto quanto os investidores esperam, como a mensagem do presidente Jerome Powell na quarta-feira, 13, os fez precificar. Porém, as bolsas subiram mais de 2% no acumulado da semana, marcada pela decisão monetária do Fed considerada dovish.

No fechamento, o índice Dow Jones subiu 0,15%, a 37.305,16 pontos, na máxima histórica pelo terceiro pregão seguido; o S&P 500 caiu 0,01%, a 4.719,19 pontos; o Nasdaq avançou 0,35%, a 14.813,92 pontos. Em relação à sexta-feira passada, os ganhos foram de 2,92%, 2,49% e 2,85%, respectivamente. Com isso, o S&P 500 registrou a sétima semana consecutiva de ganhos, maior sequencia positiva desde 2017, de acordo com a CNBC.

O pregão de hoje foi marcado pelo "triple witching" - o vencimento simultâneo de futuros de índices do mercado de ações, opções de índice do mercado de ações e opções de ações.

O rali desta semana foi impulsionado pelo dado de inflação ao consumidor (CPI) nessa terça-feira, 12, e o anúncio de juros pelo Fed nessa quarta, apontou o Barclay's em nota a clientes. "As perspectivas de potenciais cortes no início de 2024 ganharam força, alimentando o sentimento de risco e fazendo com que os rendimentos do Tesouro caíssem ao longo da curva, com o rendimento em 10 anos, em particular, caindo abaixo de 4%", comentou o banco. Essa expectativa ganhou fôlego especialmente após Powell indicar que os dirigentes haviam conversado preliminarmente sobre relaxamento monetário.

Hoje, destoando de Powell, o presidente da distrital do Fed em Nova York, John Williams, afirmou hoje à CNBC que ainda é cedo para se discutir o início do afrouxamento monetário. Na sequência, o chefe da regional de Atlanta, Raphael Bostic, disse à Reuters que espera cortes "em algum momento do terceiro trimestre" se o alívio na inflação progredir como se espera. As falas impulsionaram os juros dos Treasuries e pesaram sobre o mercado de ações, pressionado também pelo dado fraco de atividade industrial.

Em destaque, a ação da DocuSign saltou mais de 12%, depois que o Wall Street Journal que a empresa estuda uma potencial venda.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes