Na Europa, Bolsa de Londres contraria tom negativo de pares após alívio em inflação britânica

A Bolsa de Londres contraria o tom negativo das demais praças europeias e opera em alta na primeira etapa do pregão desta quarta-feira, 20, após a desaceleração da inflação ao consumidor (CPI) no Reino Unido impulsionar as expectativas por cortes de juros do Banco da Inglaterra (BoE).

Pouco depois das 6h30 (de Brasília), o índice Stoxx 600, que reúne as principais ações da região, caía 0,18%, a 476,18 pontos.

O CPI britânico se elevou 3,9% em novembro ante igual mês do ano passado, conforme informou a agência de estatísticas do país mais cedo. O resultado veio abaixo da previsão de analistas consultados pela FactSet, que esperavam avanço anual de 4,4%. Também representou uma desaceleração ante o aumento de 4,6% em outubro.

Após a divulgação do indicador, o mercado ampliou as apostas em afrouxamento monetário e passou a precificar um corte de 140 pontos-base nos juros do BoE no ano que vem, de acordo com o ING. O banco holandês, no entanto, acredita que o relaxamento será mais brando: "Ainda pensamos que o Banco preferirá agir com um pouco mais de cautela, com cortes de 100 pontos-base começando em agosto", afirma, em relatório.

Apesar disso, do outro lado do Canal da Mancha, os negócios se descolam do ímpeto de compra verificado na capital inglesa. Há sinais de exaustão do rali dos últimos dias na renda variável, como evidenciado pelo viés de baixa dos futuros atrelados aos índices acionários de Nova York nesta manhã.

Na Alemanha, o índice de preços ao produto (PPI) caiu quase 8% no confronto anual de novembro, uma queda aquém do tombo de 11% registrado em outubro. Já o índice GFK projetou avanço da confiança do consumidor para -25,1 em janeiro.

Tudo somado, no horário citado acima, a Bolsa de Londres avançava 0,86%, mas Frankfurt recuava 0,06%, Paris baixava 0,08%, Lisboa cedia 0,58% e Milão perdia 0,39%. No câmbio, o euro caía a US$ 1,09645e a libra, a US$ 1,2668. O índice DXY, que mede o dólar ante seis rivais fortes, subia 0,05%, a 102,225 pontos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes