Dólar abre em queda seguindo exterior e à espera de dados de inflação dos EUA

O dólar, que opera em leve queda em relação a moedas fortes e de países exportadores de commodities, abriu a sexta-feira, 22, em baixa na comparação com o real, sentindo o peso da queda nas taxas dos Treasuries, mas com perdas limitadas pela cautela antes de dados de inflação dos Estados Unidos.

O Departamento do Comércio dos Estados Unidos publica às 10h30 o índice de preços ao consumidor medido pelos gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) referente a novembro. A previsão é de desaceleração de 3% para 2,8% na alta do índice cheio e de 3,5% para 3,3% no núcleo do indicador.

"Isso significaria que a média móvel de seis meses recuaria para perto de 2%, ficando dentro da faixa de 2% a 3% buscada pelo Fed", disse a OFX, empresa de serviços financeiros australiana, em relatório. "Uma surpresa para cima no PCE pode dar espaço para uma recuperação de curto prazo do dólar até o final do ano", acrescentou.

No Brasil, o mercado digere a aprovação do projeto de lei que prevê a tributação dos jogos e apostas online, como cassinos virtuais, pela Câmara. A matéria vai à sanção do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O projeto faz parte do pacote de medidas arrecadatórias do ministro da Fazenda, Fernando Haddad, para atingir a meta de déficit zero nas contas públicas no ano que vem.

Além disso, na agenda doméstica, o Congresso Nacional terá sessão conjunta a partir das 11 horas para votar o Orçamento de 2024.

Por volta das 10 horas, o dólar à vista caía 0,50%, a R$ 4,8633, enquanto o contrato da moeda para janeiro tinha queda de 0,43%, a R$ 4,8630.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes