Bolsas da Ásia fecham sem direção única, com liquidez reduzida e de olho em regulações na China

As bolsas da Ásia fecharam sem direção única nesta terça-feira, 26. A sessão foi marcada por liquidez reduzida após o feriado de Natal no Ocidente, que ainda manteve os negócios fechados em Hong Kong e na Austrália.

Na China, o índice referência em Xangai caiu 0,68%, a 2.898,88 pontos, enquanto o de Shenzhen, menos abrangente, perdeu 1,20%, a 1.766,62 pontos. Há contínuos temores sobre um possível cerco do governo chinês contra o setor privado, depois do anúncio de restrições a jogos online.

Na segunda-feira, no entanto, reguladores indicaram um afrouxamento da posição ao aprovar pelo menos 105 novos títulos de videogames. Assim, Kingnet Network subiu 3,37% e Hangzhou Electronic Soul Network Technology ganhou 1,11% em Xangai.

Os negócios chineses caminham para terminar o ano com expressiva desvalorização, em contraste com os ganhos de dois dígitos dos principais índices das bolsas de Nova York. Entre vários fatores, o movimento reflete a decepção com a recuperação econômica do país asiático após o fim das restrições para controle da covid-19, diante de uma crise de liquidez no setor imobiliário.

Na semana passada, bancos locais cortaram taxas de depósitos, o que pode abrir caminho para redução de juros do Banco do Povo da China (PBoC). Mesmo assim, a Capital Economics considera as medidas insuficientes. "Nem a política fiscal nem a política monetária proporcionarão um apoio adicional significativo no próximo ano", prevê a consultoria britânica.

Entre outras praças na região, o índice Taiex, de Taiwan, avançou 0,83%, a 17,751.73 pontos. Em Tóquio, o Nikkei se elevou 0,16%, a 33.305,85 pontos, e o Kospi, de Seul, aumentou 0,12%, a 2.602,59 pontos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes