Ouro fecha em queda, com pressão dos Treasuries, mas avança 13% no ano

O ouro fechou em leve baixa na última sessão de 2023, pressionado pelo avanço dos juros dos Treasuries de longo prazo. Entretanto, o metal precioso se valorizou na semana e no mês, além de ter acumulado ganhos de 13% ao longo do ano.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para fevereiro de 2024 fechou em queda de 0,56%, a US$ 2.071,8 por onça-troy.

A alta nos rendimentos da renda fixa americana, observada hoje na ponta longa, colaborou para a queda do ouro, segundo o analista Peter Cardillo, da Spartan Capital. A valorização dos yields tende a reduzir a atratividade do ouro, uma vez que ambos competem entre si como ativos de segurança.

Mas o contrato mais líquido do ouro avançou 13,44% em comparação a 1 ano atrás. Em relação à sexta-feira passada, 22, a cotação avançou 0,13%. A commodity, inclusive, bateu máxima histórica nessa quarta-feira, 27, aos US$ 2.093,10. Já no comparativo com o fim de novembro, a alta foi de 0,22%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes

As mais lidas agora