Em ata, dirigentes do Fed veem taxa de juros como provavelmente 'no pico ou perto dele'

Os dirigentes do Federal Reserve (Fed) concordaram que o ciclo de aumento das taxas que começou em 2022 provavelmente chegou ao fim, de acordo com a ata da reunião de dezembro, divulgada nesta quarta-feira, 3. Na visão deles, o nível está no "pico, ou perto dele". Segundo o documento, os formuladores de política apontaram para o abrandamento da inflação, especialmente para as taxas anualizadas a seis meses, bem como para sinais de que as cadeias de abastecimento estão voltando à normalidade, e que o mercado de trabalho está começando a relaxar à medida que mais pessoas ingressam na força laboral.

Os dirigentes também disseram que elevar as taxas de juros acima de 5% reprimiu a demanda do consumidor, permitindo que a inflação diminuísse. Por sua vez, eles não discutiram quando começariam os cortes nas taxas. As autoridades do Fed planejaram três cortes nas taxas para 2024.

Os participantes do encontro também observaram, no entanto, que as suas perspectivas estavam associadas a um grau de incerteza elevado e que era possível que a economia pudesse evoluir de uma forma que tornasse apropriados novos aumentos no intervalo-alvo das taxas.

Os participantes do encontro observaram que a inflação tinha diminuído durante o ano passado, mas permaneceu elevada e acima da meta de longo prazo de 2%. Os dirigentes observaram que o progresso tinha sido desigual entre componentes, com os preços da energia e dos bens básicos caindo ou mudando pouco recentemente, mas os preços dos serviços básicos ainda aumentando em um ritmo elevado.

Os dirigentes consideraram geralmente que, em 2024, o crescimento real do PIB americano iria arrefecer e que o reequilíbrio do mercado de trabalho continuaria, com a taxa de desemprego aumentando ligeiramente em relação ao seu nível atual.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes