Fiscais agropecuários federais mostram preocupação com concurso público sem prova específica

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) divulgou comunicado no qual informa que o governo federal não definiu regras que assegurem uma seleção qualificada dos candidatos a cada formação - agrônomo, veterinário, químico, farmacêutico e zootecnista -, o que vai comprometer as atividades de defesa agropecuária após o início da atuação dos novos servidores. Nesta quarta-feira, 10, foi publicado o edital do Concurso Nacional Unificado prevê 200 vagas para a carreira de auditor fiscal federal agropecuário, ligada ao Ministério da Agricultura e Pecuária.

Para o sindicato, é necessária a aplicação de uma prova específica, além da objetiva comum a todos os mais de 6 mil candidatos às carreiras federais. Outro alerta do Anffa Sindical é para a demora na realização do concurso. Com o calendário apresentado, o controle agropecuário vai arcar com a defasagem do quadro de auditores até o segundo semestre do ano, comprometendo liberações em frigoríficos e plantações, e a vigilância de produtos em portos e aeroportos. Atualmente, cerca de 20% dos 2,3 mil auditores agropecuários em atividade estão aptos a aposentar.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes