Europa não quer se afastar da China, apenas reduzir riscos, diz Ursula von der Leyen em Davos

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, afirmou nesta terça-feira, 16, que a Europa não pretende se afastar ou se desligar da China. "Apenas queremos reduzir os riscos desta relação e aumentar a resiliência das nossas cadeias de oferta", esclareceu ela, ao ser questionada durante painel do Fórum Econômico Mundial, em Davos.

A autoridade acrescentou que a União Europeia (UE) está trabalhando para diversificar cadeias de suprimento e alcançar mais acordos comerciais com outros parceiros.

Em discurso antes de responder a perguntas, Von der Leyen comentou também sobre a guerra na Ucrânia e o papel das sanções em limitar os recursos da Rússia, além do "sucesso" do bloco em diversificar fontes energéticas para "reduzir a dependência de combustíveis russos ao mesmo tempo em que caminha para a transição verde".

"Em 2023, a energia gerada por fontes limpas, como solar e eólica, ultrapassou os níveis de combustíveis importados da Rússia, comprovando que podemos ampliar nossa resiliência", pontuou ela.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes