Bolsas da Ásia fecham mistas, com fortes perdas na China e nova máxima em quase 34 anos no Japão

Por Sergio Caldas*

São Paulo, 22/01/2024 - As bolsas asiáticas fecharam sem direção única nesta segunda-feira, com fortes quedas na China após a manutenção dos principais juros locais e nova máxima em quase 34 anos em Tóquio, antes de decisão de política monetária do Banco do Japão (BoJ).

Na China continental, o índice Xangai Composto recuou 2,68%, a 2.756,34 pontos, e o menos abrangente Shenzhen Composto sofreu tombo ainda maior, de 4,47%, a 1.611,26 pontos. O mau humor se instalou após o PBoC, como é conhecido o banco central chinês, deixar seu juros de referência inalterados pelo quinto mês consecutivo, apesar da persistente crise no setor imobiliário do país e sinais de fraqueza no consumo.

Por outro lado, o japonês Nikkei avançou 1,62% em Tóquio hoje, a 36.546,95 pontos, renovando máxima desde fevereiro de 1990. O BoJ revisa sua política monetária na madrugada desta terça-feira, mas analistas preveem aumento de juros apenas no segundo trimestre.

Em outras partes da Ásia, o Hang Seng caiu 2,27% em Hong Kong, a 14.961,18 pontos, e o sul-coreano Kospi cedeu 0,34% em Seul, a 2.464,35 pontos, após pregão volátil, enquanto o Taiex subiu 0,76% em Taiwan, a 17.815,10 pontos.

Na Oceania, a bolsa australiana ficou no azul, ampliando ganhos da sessão anterior, em meio ao bom desempenho de ações de bancos e varejistas. O S&P/ASX 20 teve alta de 0,75% em Sydney, a 7.476,60 pontos.

Contato: sergio.caldas@estadao.com

*Com informações da Dow Jones Newswires

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes