Produtor paulista recebeu 1,06% mais por seus produtos em 2023 ante 2022, diz IEA

O produtor paulista recebeu 1,06% mais por seus produtos em 2023, informou em nota o Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo. Em relação aos produtos de origem vegetal, o índice calculado pelo IEA (IqPR-V) subiu 5,77%, enquanto o índice de origem animal (IqPR-A) caiu 9,46% na comparação com 2022.

Já em dezembro ante novembro, o indicador geral subiu 2,8%; o IqPR-V subiu 2,04% e o IqPR-A avançou 4,53%.

Ainda conforme o IEA, excluindo-se a cana-de-açúcar, que é o principal produto na formação dos índices paulistas e que subiu 1,45% em 2023, o IqPR avançou apenas 0,21%, com o índice ligado ao setor animal pesou sobre o porcentual.

O IpPR-V subiu 9,6%, "sob interferência direta das altas verificadas nos preços da cadeia citrícola".

As altas mais expressivas dos produtos de origem vegetal durante 2023 ocorreram com laranja para indústria (+68,58%); laranja para mesa (+43,42%) e arroz (+39,78%). Entre os produtos cujos preços cederam em 2023, estão milho (-27,45%), feijão (-22,26%) e soja (-22,05%).

Quanto aos produtos de origem animal, carne bovina se desvalorizou 14,53% no ano passado, em razão da alta oferta de animais para abate.

O leite cedeu 18,18%; carne suína, -10,29%; carne de frango (-7,32%) e ovos, -1,77%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes