Dólar recua com alívio em Treasuries longos em meio a rolagens em véspera de Ptax

O dólar opera em baixa no mercado local nesta terça-feira, 30, refletindo a queda dos juros longos dos Treasuries e da moeda norte-americana ante pares rivais no exterior. O ajuste é limitado após o recuo de 1,76% do minério de ferro na China, nesta terça-feira. Há pouco, os preços do petróleo mostravam leve baixa.

Os investidores operam na expectativa pelo desfecho das reuniões de dois dias do Comitê de Política Monetária (Copom) e do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que anunciam decisões de juros na quarta-feira. Dados econômicos também são esperados, como os números do mercado de trabalho (relatório Jolts) e de confiança do consumidor dos EUA, após a publicação das leituras do Produto Interno Bruto (PIB) de países europeus mais cedo.

Nesta terça, no mercado futuro, tende a se intensificar a rolagem de contratos cambiais na medida em que, amanhã, será definida também a última taxa Ptax de janeiro, que servirá de referência para os ajustes de contratos cambiais e de balanços corporativos.

Os investidores olham ainda o boletim Focus e um dos destaques é a desaceleração da estimativa do IPCA para 2024 de 3,86% para 3,81%.

No fim da manhã, o Banco Central fará a oferta de até 16.000 contratos de swap (US$ 800 milhões) para o início da rolagem do vencimento desses contratos em 1º de abril de 2024. Ao todo, estão previstos vencimentos de US$ 15,1 bilhões em abril, num total de 301.900 contratos.

Lá fora, entre divisas emergentes, o peso mexicano reduziu alta ante o dólar, após leitura preliminar do PIB do México avançar menos que o esperado no quarto trimestre ante o anterior. Às 9h35 (de Brasília), o dólar recuava a 17,2037 5pesos, de 17,2314 pesos no fim da tarde de ontem.

Mais cedo, o PIB da Alemanha apontou queda de 0,3% no quarto trimestre de 2023 ante os três meses anteriores, em linha com a expectativa de analistas. Já o PIB da zona do euro ficou estável no quarto trimestre de 2023, na margem, e surpreendeu analistas, que previam queda de 0,1%. Com a estabilidade, o bloco evitou entrar em recessão técnica no fim do ano passado, depois de sua economia encolher 0,1% no terceiro trimestre.

No mercado à vista, às 9h45, o dólar tinha queda de 0,04%, a R$ 4,9446, após renovar mínima aos R$ 4,9352 (-0,22%). O dólar para fevereiro perdia 0,20%, a R$ 4,9440.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes