Vice-ministro das Finanças chinês diz que fiscal ajudará a expandir demanda doméstica em 2024

O vice-ministro das Finanças da China, Wang Dongwei, afirmou nesta quinta-feira que a política fiscal do país "manterá a intensidade necessária de gastos" para apoiar a recuperação econômica, com foco em expandir a demanda doméstica em 2024.

"Neste ano, faremos bom uso dos fundos relevantes do Tesouro, aumentando apropriadamente a escala de investimentos do governo dentro do orçamento central", garantiu Dongwei, em coletiva de imprensa.

Segundo ele, o governo pretende manter transferências para pagamentos de governos locais e, além da demanda doméstica, direcionar investimentos para apoiar a inovação tecnológica e acelerar a modernização industrial da China.

Dongwei também comentou que espera uma recuperação no crescimento da receita fiscal do governo chinês ao longo de 2024, dando continuidade a tendência estabelecida no ano passado.

De acordo com ele, a receita pública geral da China aumentou 6,4% na taxa anual de 2023, excedendo 21 trilhões de yuans (US$ 2,96 trilhões), enquanto os gastos fiscais subiram 5,4% na mesma comparação, para 27,46 trilhões de yuans (US$ 3,87 trilhões).

O vice-ministro das Finanças ainda falou sobre o processo de "otimizar" políticas de redução tributária, para aliviar a carga sobre os setores empresarial e industrial. Ele estima que a redução de tributos em escala nacional superou 2,2 trilhões de yuans (US$ 310 bilhões) em 2023.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes