Regulador chinês busca tranquilizar investidor, mas bolsas fecham nos menores níveis em 5 anos

A comissão reguladora de valores mobiliários da China (CSRC, pela sigla em inglês) prometeu combater práticas de manipulação de preços de ações e operações "maliciosas" de vendas de ações a descoberto.

Em comunicado publicado no domingo (04), a CSRC comentou que a fatia de ações sujeita a vendas a descoberto caiu de 10,5% em 2018 para cerca de 3,4% atualmente. Afirmou também que, até o momento, operações do tipo somaram apenas 27,4 milhões de yuans (cerca de US$ 3,5 milhões), representando uma porção muito pequena da movimentação do mercado.

Embora o comunicado da CSRC aparentemente tivesse o objetivo de tranquilizar investidores individuais, que respondem por mais de metade do volume de negócios, as bolsas chinesas reagiram com bastante volatilidade nesta segunda-feira, 5, alternando grandes perdas e pequenos ganhos antes de fecharem nos menores níveis em cinco anos.

Principal índice acionário da China, o Xangai Composto recuou 1,02% nesta segunda, a 2.702,19 pontos, depois de chegar a cair 3,5% durante o pregão. Já o menos abrangente Shenzhen Composto encerrou o dia com queda de 3,93%, a 1.433,10 pontos, recuperando-se parcialmente de um tombo de 4,4%, na mínima da sessão. *Com informações da Associated Press.