Ouro fecha em alta, em recuperação apoiada por menor pressão de dólar e Treasuries

O ouro fechou em alta nesta terça-feira, 6, em uma recuperação apoiada pela depreciação do dólar no exterior. O recuo nos rendimentos dos Treasuries, em correção após a forte escalada da véspera, também colaborou para impulsionar a demanda pelo metal.

Na Comex, divisão para metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o ouro com entrega prevista para abril fechou em alta de 0,41%, a US$ 2.051,40 por onça-troy.

"Os preços do ouro se recuperaram modestamente das mínimas de uma semana, após dois dias de quedas acentuadas", observou o analista Michael Hewson, da CMC Markets.

A escalada do dólar e dos retornos dos Treasuries havia pressionado o ouro nas últimas sessões, ao reduzir sua atratividade comparativamente. Nesta terça, o alívio nessa frente forneceu espaço para o metal angariar pelo menos leves ganhos.

O TD Securities acredita que os riscos para a cotação tendem para o lado altista, e avalia que os operadores do mercado de ouro parecem estar investindo pouco no cenário de cortes de juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

"A questão é que, embora os dados dos EUA tenham permanecido fortes, o Fed pode usar a tendência do núcleo da inflação pelo PCE para justificar o relaxamento", afirmou o banco canadense.