Ibovespa ignora NY e commoditeis, e cai pressionado por ações de grandes bancos

A valorização das commodities e dos índices futuros de ações de Nova York são insuficientes para evitar nesta quarta-feira, 7, uma queda do Ibovespa, que abandonou no período da manhã o nível dos 130 mil pontos recuperados ontem.

A queda é puxada principalmente por ações de grandes bancos, após a divulgação do balanço do Bradesco mais cedo. Ainda a desvalorização ocorre em meio a indicadores divulgados mais cedo no Brasil, como setor público consolidado de dezembro e 2023, com resultados piores do que o esperado, e as vendas varejistas do último mês do ano passado, que vieram mais fracas do que as expectativas. Quanto ao fiscal, ainda persiste o impasse sobre a MP que reonera a folha de pagamentos e as fontes de aumento de receita do governo.

Já no âmbito corporativo, o Bradesco informou lucro líquido recorrente de R$ 2,878 bilhões no quarto trimestre, o que representa alta de 80,4% em um ano.

Segundo o presidente do banco, Marcelo Noronha, o lucro poderia ser de R$ 4,3 bilhões no período, não fossem duas provisões extraordinárias feitas para dois casos de empresas com problemas.

Conforme avalia a Guide Investimentos em relatório, apesar do guidance forte para 2024, os resultados do Bradesco do quarto trimestre continuaram fracos, abaixo do esperado e abaixo da média do setor.

Há instantes, o Ibovespa aprofundou a queda e renovou mínima, diante da aceleração das perdas das ações de grandes bancos, puxada pelo Bradesco. Só o recuo acima de 9,00% de Bradesco PN e ON representa a totalidade da desvalorização do Índice Bovespa.

"É quase 100%, jogo em bloco o setor para baixo, e os dados do varejo fraco pegando nas ações de consumo. O que segura é Petrobras", descreve Helder Wakabayashi, analista da Toro Investimentos, para quem a queda do Índice não é preocupante, mas um ajuste após subir 2,21% ontem (130.416,31 pontos).

Ainda sobre a safra de balanços do Brasil, a Klabin registrou lucro líquido de R$ 370 milhões no quarto trimestre de 2023, queda de 53% ante o mesmo período do ano anterior. Na comparação com os três meses imediatamente anteriores, o resultado foi 51% maior. A empresa ainda anunciou a distribuição de dividendos complementares no montante total de R$ 192 milhões. As ações da Klabin subiam 1,07% às 10h55.

Nesta manhã, as ações da Petrobras subiam em torno de 1,00%, seguindo a valorização do petróleo. Já Vale tinha instabilidade, voltando a subir 0,22%, com o minério tendo fechado em alta de 1,12% em Dalian, na China.

Os índices futuros de ações norte-americanos subiam levemente e os rendimentos dos Treasuries, também.

Na agenda dos EUA, o destaque serão as aparições públicas dos diretores do Federal Reserve (Fed) e o leilão do Tesouro à tarde. "Até agora, a principal mensagem é de que o Fed não tem pressa para reduzir os juros e aguarda mais dados sobre a inflação", cita em nota a MCM Consultores.

Para Wakabayashi, analista da Toro Investimentos, o interessante será observar qual será a reação dos títulos do Tesouro dos EUA após o leilão. "Isso deve ser o driver para os mercados."

Às 11h17, o Ibovespa caía 0,44%, aos 129.838,15 pontos, ante recuo de 0,52%, na mínima aos 129.741,87 pontos, depois de subir 0,10%, na máxima aos 130.551,96 pontos.

Petrobras subia em torno de 1,00%. No caso de ações mais sensíveis ao ciclo de juros, Lojas Renner ON se destacava, ao ceder 3,33%. No horário citado, acima Bradesco caia mais de 10,00%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes