Para IBGE, queda no varejo em dezembro foi mais branda que nos anos anteriores

A campanha Black Friday em 2023 ocasionou uma antecipação de compras para o Natal ainda em novembro nos setores mais aderentes às promoções. No entanto, outros segmentos varejistas mostraram desempenho melhor no último mês do ano passado, fazendo com que a média global do varejo ficasse menos negativa em dezembro do que nos anos anteriores.

A avaliação é de Cristiano Santos, gerente da Pesquisa Mensal de Comércio no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O volume vendido recuou 1,3% em dezembro ante novembro, após ter avançado apenas 0,1% em novembro ante outubro. Porém, houve disseminação de avanços em novembro: seis das oito atividades investigadas registraram elevação nas vendas no período, com destaque para as atividades relacionadas à Black Friday.

Em dezembro, seis atividades registraram perdas, entre elas as que tinham crescido no mês anterior a reboque da campanha de liquidações, como equipamentos de informática, móveis e eletrodomésticos e vestuário e calçados.

"A queda no varejo em dezembro foi mais branda que nos anos anteriores", reforçou Santos.

No período de dezembro ante novembro, o último avanço no volume vendido ocorreu em 2019 (0,6%). Nos anos seguintes, as vendas recuaram: 2020, -4,0%; 2021, -1,5%; 2022, -1,9%; e 2023, -1,3%.

Apesar da perda menos intensa em 2023 neste período do ano, Santos reforça que o desempenho setorial evidenciou uma Black Friday mais forte no ano passado do que nas leituras anteriores.

Ao mesmo tempo, os avanços em atividades menos aderentes à campanha, como supermercados e combustíveis, sustentaram um desempenho global menos negativo em dezembro.

"Ela (a Black Friday de 2023) foi mais forte por dentro do indicador, e não no geral (média global)", justificou o pesquisador.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes