Vice-presidente do Fed vê inflação indo à meta, mas quer mais dados antes de corte de juros

O vice-presidente de supervisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Michael Barr, afirmou nesta quarta-feira que o Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) segue confiante de que a inflação caminha em direção à meta de 2% nos Estados Unidos, mas precisa receber mais indicadores favoráveis antes de começar a cortar os juros.

Em discurso durante evento da National Association of Business Economics (Nabe), o dirigente ressaltou que apoia uma abordagem cautelosa ao avaliar a normalização da política monetária.

Segundo ele, a leitura de janeiro do índice de preços ao consumidor (CPI) é um lembrete de que o processo de retomada da inflação à meta será acidentado.

"Dada a limitada experiência histórica com a dinâmica de crescimento e inflação que enfrentamos atualmente, e nenhuma experiência moderna de saída de uma pandemia global, temos mais uma razão para proceder com cautela, como temos feito", disse ele.