Impacto de aperto ainda está sendo transmitido à economia, reitera economista-chefe do BCE

O economista-chefe do Banco Central Europeu (BCE), Philip Lane, reiterou nesta quinta-feira, 15, que os impactos do aperto monetário ainda estão sendo transmitidos para a economia da zona do euro. Contudo, ele observou que o aperto nas condições de crédito cresceu em ritmo mais rápido do que o "sugerido" pelo ciclo de aumentos de juros do banco central.

Os comentários aconteceram em evento da Escola Florence de Bancos e Finanças, onde Lane exibiu dados comparando o aperto monetário do BCE e a evolução do crédito na zona do euro.

"Há muita transmissão do aperto monetário especialmente no acesso ao crédito por famílias europeias. E este aperto no crédito doméstico deve se manter, apesar de não haver previsão de nova alta dos juros e do mercado precificar cortes", pontuou Lane.

O dirigente falou ainda sobre o sistema bancário, alertando que as instituições financeiras precisam ajustar suas estratégias ao cenário atual de queda nos depósitos.

"Também estamos estudando se a redução no excesso de liquidez do balanço patrimonial do BCE está impactando o setor bancário", afirmou Lane.