Abilio: 'Todo mundo vê as glórias que eu conquisto, mas não vê os tombos que eu levo'

"Nunca me preocupei com legado. Eu gosto do aqui e agora", afirmou o empresário Abilio Diniz em uma entrevista à CNN concedida no fim do ano passado. "A minha preocupação sempre foi a de buscar, em vida, ser uma pessoa feliz, que pratica o bem e compartilha conhecimento." Diniz morreu na noite deste domingo, 18, aos 87 anos.

Trechos de várias entrevistas concedidas ao longo da vida e também vídeos gravados por ele mesmo estão reunidos na página do empresário no Instagram, que conta com quase 900 mil seguidores. São reflexões sobre a vida, a família e o trabalho, e conselhos compartilhados a partir de suas experiências pessoais.

No início deste ano, Diniz postou: "Gostaria de deixar um rápido conselho a todos vocês para este ano que se inicia: nunca deixem de olhar as oportunidades que surgem. Essa é uma lição que aprendi ao longo do tempo. Costumo dizer que as chances na vida são como um trem que passa na porta da sua casa; ele pode até passar outra vez, mas talvez não com as mesmas oportunidades".

No dia em que completou 87 anos, em 28 de dezembro do ano passado, Abílio Diniz gravou um vídeo em que afirmou: "Todo mundo vê as glórias que eu conquisto, mas não vê os tombos que eu levo. Às vezes eu vou no fundo do poço. Ai falo para mim mesmo: 'sai dai, não é o seu lugar'. Ai eu me reinvento, vou em frente e toco a vida. " E acrescentou, por escrito, na mesma postagem: "Como a vida, para mim, é um eterno aprendizado, uma das maiores lições que tive nesses 87 anos foi o poder da reinvenção".

Em uma outra reflexão sobre a própria longevidade, Diniz afirma que conhecimento é fundamental. "Eu nunca parei de tentar aprender. Eu fiz da minha vida um aprendizado constante. E hoje, estudando mais sobre longevidade com qualidade, vejo que tem teses que dizem que o cara que procura sempre aprender envelhece mais devagar."

Em um outro vídeo, Diniz reflete sobre o destino. "Eu não acredito em destino", afirma. "Cada um decide o que quer ser na vida. Eu nunca decidi que queria ganhar dinheiro, mas que queria fazer alguma coisa importante, que me realizasse, que me satisfizesse e que eu pudesse fazer o bem. Acho que isso também foi uma ousadia, de procurar, realmente, colocar uma causa na minha vida."

Como professor da Fundação Getulio Vargas, Abílio Diniz conta, em uma outra postagem que sempre repete a seguinte frase para os seus alunos: "Lute sempre para ser o melhor. Ser o maior é uma consequência."