Sem NY, queda do minério pesa e Ibovespa cai; mas defende o nível dos 128 mil pontos

A desvalorização das commodities pesa e o Ibovespa cai desde a abertura nesta segunda-feira, após dois pregões seguidos de ganhos. Na sexta-feira, fechou em alta de 0,72%, aos 128.725,88 pontos, com elevação semanal de 0,55%.

Hoje, a liquidez tende a diminuir e a volatilidade não pode ser descartada, por conta do fechamento dos mercados dos Estados Unidos em razão do feriado ao Dia do Presidente, além da agenda esvaziada. Na Europa, as bolsas europeias cedem moderadamente. Aqui, tem o retorno dos trabalhos no Congresso.

"Esta semana é mais esvaziada em relação a dados econômicos e hoje tem feriado nos Estados Unidos, e isso deve influenciar o volume da Bolsa", diz Gabriela Sporch, analista da Toro Investimentos, em nota.

No Ibovespa, destaque à queda das ações ligadas ao minério, que fechou em baixa de 0,52% em Dalian na volta do longo feriado na China, e em dia de desvalorização em torno de 3% em Cingapura. Só Vale ON perdia cerca de 1,00% perto das 11 horas, contaminando os demais papéis do segmento metálico. Como as ações da mineradora têm peso relevante na carteira, perto de 13%, respondiam por quase a metade do recuo do Ibovespa. Nesta semana, a Vale divulgará seu balanço do quarto trimestre.

"Pode se dizer que a queda é quase toda por conta do recuo minério de ferro. O restante dos papéis, no geral, está quase todo positivo", observa o estrategista-chefe da Monte Bravo, Alexandre Mathias.

As preocupações com o desaquecimento da segunda economia do mundo seguem no radar. Em 2023, a China registrou o menor aumento de investimento estrangeiro direto em mais de duas décadas. Apesar desses sinais de fraqueza, o banco central da China (PBoC) deixou o nível da sua linha de empréstimo de médio prazo - conhecida como MLF - de um ano inalterado em 2,5%, mas analistas preveem corte nas principais taxas.

O que atenua a queda do Ibovespa é a alta de algumas ações ligadas ao consumo, embora o viés negativo dos juros futuros iniba o movimento.

Nesta manhã, foi divulgado o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br). O indicador subiu 0,82% em dezembro, superando a mediana das previsões, de 0,80%, e cresceu 2,45% em 2023, também acima da mediana de 2,30%.

Às 11h07, o Ibovespa caía 0,39%, aos 128.227,65 pontos, ante recuo mínima aos 128.096,54 pontos (-0,49%) e máxima aos 128.719,87 pontos (variação zero). Vale ON cedia 1,29%, enquanto Petrobras subia 0,07% (PN) e ON cedia 0,29%. Carrefour, que divulga balanço hoje, cedia 1,98%. Entre os grandes bancos, o sinal era de baixa moderada em sua maioria. Só Itaú Unibanco PN subia, 0,20%.

Entre as maiores altas, destaque para Cogna, com 2,48%, Pão de Açúcar, com 1,54%, por exemplo.