Loyola: Pastore foi um dos grandes economistas brasileiros e colunas no Estadão eram referência

O ex-presidente do Banco Central e atual presidente da Tendências Consultoria, Gustavo Loyola, comentou ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) que o professor Affonso Celso Pastore foi um dos grandes economistas brasileiros, ao lado de Mário Henrique Simonsen e Carlos Langoni. "Pastore contribuiu muito para enriquecer o debate de questões macroeconômicas. Sempre esteve envolvido com o lado prático, seja na academia, no setor público e nas atividades de consultoria."

Loyola destacou que quando Affonso Celso Pastore foi presidente do Banco Central teve um papel decisivo no início dos processo de renegociação da dívida externa do Brasil com credores internacionais em meados da década de 1980. "Ele também teve um papel muito importante como grande defensor da autonomia do Banco Central e fez diversos trabalhos sobre o sistema de metas de inflação."

Para o presidente da Tendências, Pastore também era um privilegiado comentarista de temas econômicos, especialmente nas colunas publicadas no Estadão. "Suas colunas eram uma grande referência de pensamentos inovadores, com ângulos diferentes sobre diversos temas, que traziam também estudos que ele realizou sobre tais tópicos."