Bolsas de NY recuam em dia sem catalisador; Alphabet, da Google, tomba com crítica a sistema AI

As bolsas de Nova York fecharam em queda, em uma sessão sem catalisadores relevantes e à medida que os investidores se preparam para uma semana de dados econômicos importantes. As ações da Alphabet, controladora do Google, derreteram em meio a críticas a seu sistema de inteligência artificial. A Berkshire Hathaway, do famoso investidor Warren Buffett, terminou o pregão em queda, revertendo ganhos iniciais, mesmo após o lucro operacional aumentar no quarto trimestre.

O Dow Jones cedeu 0,16%, aos 39.069,23 pontos. O S&P 500 recuou 0,38%, aos 5.069,53 pontos. Os dois índices marcaram máximas históricas de fechamento na semana passada. O Nasdaq, com elevada concentração de ativos de tecnologia, perdeu 0,13%, aos 15.976,25 pontos.

As ações da Alphabet, controladora do Google, caíram 4,44%, enquanto a gigante da internet encara críticas ao seu sistema de inteligência artificial "Gemini". O analista da Wedbush, Daniel Ives, considerou a pressão sobre os ativos "muito exagerada, já que o Google tem uma grande oportunidade em IA, sem que (Wall) Street dê crédito. O Gemini enfrenta ventos contrários, mas acreditamos que o Google é um dos principais vencedores na revolução da IA", escreveu o analista. O Gemini é uma tecnologia de IA generativa multimodal desenvolvida pelo Google, que parou de permitir que usuários de sua tecnologia de chatbot Gemini gerassem imagens de humanos, após erros raciais em imagens.

As ações da Berkshire Hathaway (BRK-B) cederam 1,96%. A companhia de investimentos de Warren Buffett informou, no sábado, que seu lucro operacional aumentou para US$ 8,5 bilhões no quarto trimestre, um crescimento de 28% ante igual período de 2023, impulsionado pela subscrição de seguros e pelo rendimento de investimentos.

A Alcoa recuou 4,45%, após chegar a um acordo para adquirir a australiana Alumina em uma transação que avaliou a empresa em cerca de US$ 2,2 bilhões. As empresas operam a joint venture Alcoa World Alumina and Chemicals, que opera ou tem interesses em minas de bauxita e refinarias de alumina na Austrália, Brasil, Espanha, Arábia Saudita e Guiné. O conselho da Alumina recomendou que os acionistas aceitassem o acordo.

Entre os dados divulgados nesta segunda-feira, as vendas de moradias novas nos Estados Unidos aumentaram 1,5% em janeiro, ante dezembro, para um ritmo anual sazonalmente ajustado de 661 mil unidades, segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira, pelo Departamento do Comércio do país. Mas o principal indicador da semana será o índice de preços dos gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês), métrica usada pelo Federal Reserve para acompanhar a variação de preços.

* Com informações da Dow Jones Newswires