Elanco amplia prejuízo líquido para US$ 141 milhões no 4º tri de 2023

A companhia de saúde animal Elanco Animal Health, dos Estados Unidos, registrou prejuízo líquido de US$ 141 milhões, ou US$ 0,29 por ação, no quarto trimestre do ano passado (encerrado em 31 de dezembro de 2023). O resultado indicou que houve aumento no prejuízo líquido em relação ao reportado em igual período de 2022, de US$ 55 milhões, ou US$ 0,11 por ação.

Em termos ajustados, o lucro por ação na mesma comparação passou de US$ 0,19 para US$ 0,08. A receita subiu 5%, para US$ 1,035 bilhão. Analistas consultados pela FactSet esperavam lucro ajustado de US$ 0,10 por ação e receita de US$ 1 bilhão.

Em relatório, o presidente e diretor executivo da Elanco, Jeff Simmons, afirmou que o crescimento das receitas foi impulsionado pelos aumentos de preços e pela demanda do que a empresa classificou como produtos inovadores. Ele disse, ainda, que o lucro ajustado foi atingido pela desvalorização do peso argentino em dezembro.

A empresa ressaltou que as vendas da divisão voltada para pets diminuíram 1% ante o quarto trimestre de 2022, para US$ 416 milhões, mas os preços avançaram 3% na mesma base comparativa. A divisão da empresa que tem como foco animais de produção, a Farm Animal, registrou receita de US$ 610 milhões, alta de 10% na comparação anual, com preços 4% mais altos.

Em comunicado, a Elanco afirmou que vai cortar cerca de 420 empregos em uma reestruturação para reduzir custos e reposicionar as operações internacionais, que deve realocar recursos da unidade de animais de fazenda para a unidade de saúde pet nos negócios internacionais.

A companhia espera economizar entre US$ 20 milhões e US$ 25 milhões neste ano, aumentando para US$ 30 milhões a US$ 35 milhões em 2025 e nos anos seguintes. Além disso, a Elanco espera contabilizar entre US$ 50 milhões e US$ 55 milhões em encargos, incluindo US$ 40 milhões a US$ 45 milhões em indenizações, no primeiro trimestre.

No acumulado do ano fiscal, a Elanco encerrou a temporada com receita de US$ 4,417 bilhões, em linha com o reportado no ciclo anterior. Por outro lado, o prejuízo líquido foi de US$ 1,231 bilhão no ano, ante prejuízo líquido de US$ 78 milhões um ano antes. O Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do consolidado da temporada ficou em US$ 979 milhões, 4% menor do que o registrado em igual período de 2022.

Para o primeiro semestre de 2024, a Elanco projetou receita entre US$ 1,16 bilhão e US$ 1,185 bilhão, mas prejuízo líquido entre US$ 34 milhões e US$ 13 milhões, ou US$ 0,07 e US$ 0,02 de prejuízo por ação. Em termos ajustados, o lucro por ação é esperado para entre US$ 0,25 e US$ 0,28.

Para todo o ano de 2024, o guidance previu receita entre US$ 4,45 bilhões e US$ 4,54 bilhões, ante projeção dos analistas de US$ 4,51 bilhões. Além disso, o prejuízo líquido foi estimado entre US$ 62 milhões e US$ 17 milhões, com prejuízo por ação entre US$ 0,12 e US$ 0,03.

O lucro ajustado deve ficar entre US$ 0,87 e US$ 0,95 por ação, enquanto analistas projetam US$ 0,89 por ação. A orientação incluiu a contribuição anual do negócio aquático da empresa, vendido à Merck Animal Health, e não inclui a contribuição dos lançamentos esperados de novos produtos em 2024.