'Estamos, por meio do balanço do BID, reduzindo custo do hedge para investidores', diz Galípolo

O diretor de Política Monetária do Banco Central (BC), Gabriel Galípolo, comentou que o novo hedge cambial em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) é uma tentativa de oferecer opções mais baratas de proteção para investidores estrangeiros. "Estamos, por meio do balanço do BID, reduzindo o custo do hedge para investidores", pontuou Galípolo, esclarecendo que o BID usará seu balanço para comprar derivativos externos e repassar ao BC.

De acordo com ele, a medida deve aumentar a confiança de investidores estrangeiros, mitigando riscos de que uma desvalorização intensa da moeda reduza os lucros com investimentos no Brasil.

"Somos meramente um conduíte para melhorar a relação de custo/retorno", afirmou o especialista líder de Mercados e Finanças do BID, Rafael Lima.