FSB faz alerta ao G20 para risco de ativos esticados para estabilidade financeira

Os ativos com preços esticados, que são negociados dissociados dos valores justificados pelos fundamentos de uma empresa, em mercados importantes estão entre as perspectivas desafiadoras para a estabilidade financeira global no momento, citou o Conselho de Estabilidade Financeira (FSB, na sigla em inglês). Mudanças abruptas nos preços de mercado podem expor vulnerabilidades no sistema financeiro, incluindo as relacionadas com a alavancagem e a incompatibilidade de liquidez em instituições financeiras não bancárias, alerta.

Em uma carta divulgada pelo órgão nesta segunda-feira, o FSB diz que traçou um plano detalhado com as ações prioritárias para a presidência do G20, o grupo das 20 principais economias do globo.

O documento foi entregue para ministros de Finanças e dirigentes de bancos centrais do G20, que se reúnem nesta semana em São Paulo.

Na carta, o presidente do FSB, Klaas Knot, alertou que os encargos com o serviço de dívidas trazem outros desafios para a estabilidade financeira global, apesar do crescimento econômico constante e dos sinais de melhoria das condições financeiras globais.

"Os desafios do serviço da dívida poderão aumentar e as exposições a setores que enfrentam dificuldades, como o de imóveis comerciais, merecem um monitoramento rigoroso", aponta o documento do FSB. Mudanças abruptas nos preços de mercado podem expor vulnerabilidades no sistema financeiro, incluindo as relacionadas com a alavancagem e a incompatibilidade de liquidez nas instituições que fazem intermediação financeira não bancária", diz o órgão.

O FSB coordena o trabalho das autoridades financeiras nacionais e dos organismos internacionais de definição de normas e desenvolve e promove a implementação de políticas regulatórias, de supervisão e outras políticas eficazes do setor financeiro no interesse da estabilidade financeira.