Aguardamos novos dados de inflação antes de decidir sobre cortes de juros, diz Guindos, do BCE

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis de Guindos, disse que a instituição aguarda novos dados de preços da zona do euro para confirmar que a inflação se encaminha para a meta oficial de 2% e decidir sobre eventuais cortes de juros.

Em entrevista à emissora de TV espanhola Antena 3, Guindos disse que a evolução da inflação tem sido "muito positiva", lembrando que a taxa anual do bloco era superior a 10% no fim de 2022 e agora se encontra ligeiramente abaixo de 3%.

Guindos previu que a inflação continuará diminuindo, mas ressaltou que o BCE precisa estar convencido de que a taxa "acabará convergindo para 2%".

O vice-presidente do BCE também reiterou, na entrevista, que as decisões de políticas monetária do banco dependem "dos dados, não de datas". "Se os dados confirmarem" a avaliação de que a inflação seguirá caindo, o BCE mudará a direção de sua política monetária, disse ele.

Em janeiro, o BCE deixou suas principais taxas de juros inalteradas pela terceira vez seguida. A próxima reunião de política monetária da instituição está marcada para 7 de março.