Taxas de juros sobem com curva dos EUA antes de Campos Neto e reuniões do BC com economistas

Os juros futuros sobem na manhã desta segunda-feira, 4, em sintonia com os retornos dos Treasuries, após terem caído na sexta-feira, dia 1º. As atenções ficam no presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que faz palestra na Associação Comercial de São Paulo (ACSP), a partir das 10h.

O mercado monitora também qualquer informação sobre as reuniões trimestrais de diretores do BC com economistas, em São Paulo, fechadas à imprensa. Serão quatro encontros no decorrer do dia; Os diretores de Assuntos Internacionais, Paulo Pichetti, e de Política Econômica, Diogo Guillen, participam de todas as reuniões, enquanto o diretor de regulação, Otavio Damaso, estará presente em apenas um dos encontros.

Às 9h13 desta segunda, a taxa do contrato de depósito interfinanceiro (DI) para janeiro de 2025 subia a 9,940%, de 9,888% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2026 ia para 9,745%, de 9,715%, e o para janeiro de 2027 subia para 9,945%, de 9,919% no ajuste anterior. O vencimento para janeiro de 2029 ia para 10,385%, de 10,362% no ajuste de sexta-feira. O juro da T-note 10 anos avançava a 4,208% (de 4,184%); e o do T-bond de 30 anos aumentava a 4,356% (de 4,328%).