FGV: Indicador Antecedente de Emprego sobe 0,3 ponto em fevereiro ante janeiro, a 78,5 pontos

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) subiu 0,3 ponto na passagem de janeiro para fevereiro, terceiro avanço consecutivo, para 78,5 pontos, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta terça-feira, 5. Em médias móveis trimestrais, o IAEmp cresceu 1,2 ponto.

"A terceira alta consecutiva do IAEmp leva o indicador ao maior patamar desde outubro de 2022, refletindo expectativas mais favoráveis de empresários com os próximos meses. O indicador ainda não se encontra em um patamar elevado, mas a possibilidade de começar a se observar o impacto no dia a dia da melhora das variáveis macroeconômicas, como redução de juros e controle da inflação, pode estar impactando positivamente as avaliações. A continuidade desse cenário é importante para a evolução do mercado de trabalho", avaliou Rodolpho Tobler, economista do Instituto Brasileiro de Economia da FGV (Ibre/FGV), em nota oficial.

O IAEmp sugere expectativa de geração de vagas adiante, quanto maior o patamar, mais satisfatório o resultado. O indicador é formado por uma combinação de séries extraídas das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor, todas apuradas pela FGV. O objetivo é antecipar os rumos do mercado de trabalho no País.

Em fevereiro, três dos sete componentes do IAEmp contribuíram positivamente para o resultado. Os melhores desempenhos no mês foram dos itens Situação Atual dos Negócios da Indústria, que impactou em 1,1 ponto, Emprego Previsto da Indústria, com 0,5 ponto, e Emprego Previsto de Serviços, com 0,3 ponto. Entre os impactos negativos, as maiores influências foram dos itens Tendência dos Negócios da Indústria, com -0,6 ponto, Emprego Local Futuro do Consumidor, com -0,6 ponto, e Tendência dos Negócios de Serviços, com -0,3 ponto.