Galípolo: Precisamos de tempo para dizer que pressão na inflação de serviços vem de salários

O diretor de Política Monetária do Banco Central (BC), Gabriel Galípolo, voltou a ressaltar sua preocupação com a inflação de serviços nesta terça-feira, 5, durante palestra do evento 'Cenário 2024: Mudanças Estruturais e Queda dos Juros', promovido pela APCE (André Perfeito Consultoria), em São Paulo. Segundo ele, a inflação do setor tem vários "quebra-cabeças", e não foi um problema particular do Brasil.

Galípolo disse que a inflação de serviços tem vários mistérios a serem desvendados no Brasil e que é preciso tempo para dizer que vem dos salários. "Não é possível ainda ver link entre mercado de trabalho e pressão nos serviços", afirmou. "Não consigo ver uma correlação elevada com a inflação de serviços com salários. "

Segundo ele, poderia a inflação de serviços se dever à idiossincrasia do Brasil, mas foi global. Como autoridade monetária, o diretor disse que a instituição é obrigada a sinalizar aquilo que está preocupando. "Cada um de nós busca explicações idiossincráticas para uma inflação que é global."