Meta de crescimento chinês não anima, e Ibovespa opera perto da estabilidade

As promessas pouco convincentes de crescimento ao redor de 5% da China em 2024 geram cautela nos mercados de ações, e o Ibovespa opera perto da estabilidade na manhã desta terça-feira, 5. Há pouco, o principal indicador da B3 passou a subir, renovando máximas, mas o movimento não convence, em meio ao recuo dos juros futuros no Brasil e dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos EUA, dado o viés negativo dos índices futuros de ações de Nova York e diante da cautela com a meta de crescimento em torno de 5% da China. Com isso, segue na faixa dos 128 mil pontos da abertura.

"A China ainda pode anunciar uma injeção forte de capital, mas até agora não se viu nada neste sentido. Então, não empolga", avalia Yuri Landim, especialista em renda variável Da WIT Invest. "Pode ser que haja um rebote. Mas hoje o Ibovespa, pelo menos por ora, pode ficar um pouco mais de lado", estima Landim.

Pesa o recuo das ações da Vale, enquanto as da Petrobras tentam avançar, após uma auditoria não confirmar irregularidades no caso Unigel. O BTG Pactual rebaixou a recomendação da mineradora para neutra, com preço-alvo de US$ 16 por American Depositary Receipt (ADR).

Os índices futuros de ações de Nova York caem moderadamente, no aguardo da divulgação de dados de atividade dos Estados Unidos e antes dos discursos do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Jerome Powell, no Congresso amanhã e na quinta-feira. Na Europa as bolsas têm quedas leves, em meio ainda a resultados divergentes de indicadores de atividade da região.

"Os mercados estão à espera de dados de emprego dos Estados Unidos nesta semana e do discurso do presidente do Fed. É um ponto importante a se observar", diz o especialista em renda variável Da WIT Invest, ressaltando que a expectativa é que as divulgações deem sinais sobre o início da queda dos juros americanos.

Já o petróleo cai com mais força. Ainda assim as ações da Petrobras sobem. A estatal informou ontem que a sua diretoria de Governança e Conformidade concluiu a apuração sobre possíveis interferências de dois de seus diretores na tramitação do procedimento que gerou a celebração do contrato de tolling com a Unigel, e concluiu pela não confirmação de irregularidades nesse sentido. A Petrobras vai divulgar seu balanço trimestral, na quinta-feira.

Ontem, o Ibovespa fechou bem próximo da mínima intraday. Encerrou a sessão com queda de 0,65%, aos 128.340,54 pontos. Às 10h45, o índice Bovespa caía 0,08%, aos 128.242,60 pontos, ante recuo de 0,11%, com mínima aos 128.201,45 pontos. Na máxima, subiu 0,19% e atingiu 128.584,21 pontos.

Na China, Pequim estabeleceu na abertura do Congresso Nacional do Povo uma meta de crescimento econômico de cerca de 5% para 2024.

A percepção dos investidores, conforme avalia em nota o Bradesco, é de que será difícil cumprir a meta de crescimento estipulada, dado o cenário econômico chinês atual e a frustração, por ora, com as medidas de estímulos.

No Brasil, O Índice de Preços ao Produtor (IPP), que inclui preços da indústria extrativa e de transformação, registrou baixa de 0,31% em janeiro ante recuo de 0,20% em dezembro. "Essa deflação é bem vista, pois é esperado que essa queda dos preços ao produtor se reflita no consumidor. Isso corrobora para a continuidade do arrefecimento da inflação", avalia Lucas Serra, analista da Toro Investimentos.