Na China, vendas da Tesla e outros fabricantes de carros elétricos têm forte queda em fevereiro

As vendas da Tesla e de outros fabricantes de carros elétricos na China tiveram forte queda em fevereiro, prejudicadas pela demanda fraca durante o feriado do ano novo lunar e crescente concorrência na segunda maior economia do mundo.

Na segunda-feira, a ação da Tesla tombou mais de 7% em Nova York. Por volta das 8h50 (de Brasília), a montadora americana de Elon Musk caía mais 1,9% nos negócios do pré-mercado.

A Tesla embarcou 60.365 veículos feitos na China durante o mês passado, seu pior resultado desde o fim de 2022, segundo dados preliminares da associação chinesa de carros de passeio. O número marca expressivo declínio em relação a janeiro (71.447 unidades) e dezembro (94.139).

A BYD, empresa chinesa que ultrapassou a Tesla como maior vendedor mundial de veículos elétricos no último trimestre de 2023, viu seus embarques caírem para 121.748 veículos em fevereiro, ante 201.493 unidades um mês antes.

As vendas de carros elétricos das chinesas Seres e Li Auto também recuaram no último mês.

De modo geral, as vendas de veículos elétricos no mercado chinês registraram queda de 9% na comparação anual - e baixa de 34% no confronto mensal -, para cerca de 450 mil unidades em fevereiro, de acordo com a CPCA, sigla em inglês da associação chinesa. A CPCA atribuiu o fraco resultado a um número menor de dias úteis em fevereiro e ao feriado. Para a associação, no entanto, a indústria automotiva segue saudável em meio a níveis de estoques cada vez menores.

As vendas da Tesla normalmente desaceleram no feriado do ano novo lunar, mas a empresa também enfrenta concorrência mais agressiva.

Na semana passada, a Tesla anunciou novos incentivos e descontos para versões dos modelos 3 e Y na China, após a BYD - na qual o megainvestidor americano Warren Buffett tem investimentos - voltar a reduzir seus preços. Fonte: Dow Jones Newswires.